sexta-feira, 12 de julho de 2013

Cinco covers que eu ouço mais que os originais

Hoje o tema é uma das coisas que eu mais amo: música. Eu escolhi cinco covers que eu amo, cujas músicas eu mal ouço na voz original. A ordem não indica favoritos, foi só para organizar. Vamos lá?


1.Thinking About You (Originalmente do Frank Ocean, cover dos Jonas Brothers)




2. Wonderwall (Originalmente do Oasis, cover do Ed Sheeran)



3. How To Love (Originalmente do Lil' Wayne, cover da Demi Lovato)



4. Skinny Love (Originalmente do Bon Iver, cover da Birdy)



5. Impossible (Originalmente da Shontelle, cover do James Arthur)



E aí, gostaram? Quais seriam os escolhidos de vocês?









quarta-feira, 10 de julho de 2013

Museus do Estado de São Paulo 3 e 4

A parte 3 devia ter vindo ontem, mas infelizmente não tive tempo de postar. Aqui vão as duas últimas partes:



Museu Afro Brasil-Patrimônio cultural africano e afrobrasileiro. A história do Brasil a partir de suas raízes.

Rua Pedro Álvares Cabral, s/n°, Pavilhão Manoel da Nóbrega, Parque do Ibirapuera, portão 10- São Paulo- SP
Informações/agendamento: (11) 5579-8542
Horário: terça a domingo, das 10h às 18h, entrada até as 17h- Grátis
Parque do Ibirapuera, com zona azul
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
Estacionamento de veículos pelo portão 3
www.museuafrobrasil.org.br



MIS (Museu da Imagem e do Som)- Fotografia, cinema, artes gráficas, música e história oral. A
arte e em movimento.

Av. Europa, 158- Jardim Europa- São Paulo- SP
Informações/agendamento: (11) 2117-4777
Horários: terça a sábado, das 12h às 22h
Domingos e feriados, das 11h às 21h
1° e 2° anadares: Terça a sábado, das 12h às 19h;
Domingos e feriados, das 11h às 18h
Ingressos: Térreo: Grátis; 1° e 2° andares: R$ 4 (meia-entrada R$ 2) Grátis aos domingos
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
Estacionamento pago
www.mis-sp.org.br


Museu da Língua Portuguesa- Tecnologia e recursos interativos com foco na palavra.


Praça da Luz, s/n°- São Paulo- SP
Informações/agendamento: (11) 3326-0775
Horário: terça a domingo, das 10h às 18h
Ingresso: R$ 6 (meia-entrada R$ 3)
Toda terça do mês o museu fica aberto até 23h- Bilheteria até as 21h)
Grátis aos sábados
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
www.museudalinguaportuguesa.org.br


Museu de Arte Sacra de São Paulo- Um raro panorama da religiosidade e da fé através de obras de arte e hábitos culturais.


Av. Tiradentes, 676- Luz- São Paulo- SP
Informações/agendamento: (11) 3326-1373
Horário: terça a domingo, das 10h às 18h
Ingressos: R$ 6 (meia-entrada R$ 3)
Grátis aos sábados
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
Estacionamento grátis
www.museuartesacra.org.br


Museu de Esculturas Felícia Leirner- Esculturas ao ar livre. Bosques, alamedas e jardins: a arte da natureza abriga a arte humana.


Av. Dr. Arrobas Martins, 1.880, Campos do Jordão- SP
Informações: (11) 3664-0210/3166
Horário: terça a domingo, das 9h às 18h
Ingresso: R$ 1
Estacionamento pago
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
www.museufelicialeirner.org.br


Museu Casa de Portinari- Casa e obra do artista. Respire os mesmos ares que o mestre respirou. E inspire-se.


Praça Cândido Portinari, 298- Brodowski- SP
Informações/agendamento: (16) 3664-4284
Horário: terça a domingo das 9h às 17h- Grátis
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
Estacionamento gratuito
www.museucasadeportinari.org.br




Museu do Café- A trajetória do grão que revolucionou São Paulo. Uma história com gostinho diferente. 


Rua XV de Novembro, 95- Centro- Santos- SP
Informações/agendamento: (13) 3213-1750
Horário: terça a sábado das 9h às 17h, domingo das 10h às 17h
Ingresso: R$ 5 (meia-entrada R$ 2,50)
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida em alguns setores do museu
www.museudocafe.org.br




Museu Índia Vanuíre- Arte e cultura indígena. Um elo perdido entre o homem moderno e a natureza.


Rua Coroados, 521- Tupã- SP
Informações/agendamento: (14) 3491-2202
Horário: terça a domingo das 9h às 17h- Grátis
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
www.museuindiavanuire.org.br


E então, gostaram desse nosso guia? Há outro museu que não colocamos do qual vocês gostam? Deixem seus comentários abaixo!

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Museus do Estado de São Paulo 2

Como prometido, a segunda parte do nosso guia de museus de São Paulo. Aproveitem:




Pinacoteca do Estado- Um impressionante panorama da arte brasileira dos séculos XIX e XX.

Praça da Luz, 2, Luz- São Paulo- SP
Informações/agendamento: (11) 3324-1000
Horário: terça a domingo, das 10h às 17h30
Ingresso: R$ 6 (meia-entrada R$ 3)
Grátis aos sábados
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
Estacionamento gratuito
                                                                                    www.pinacoteca.org.br





Memorial da Resistência- Memórias da resistência e da repressão políticas no Brasil. Toda história precisa ser contada.

Largo General Osório, 66- Luz- São Paulo- SP
Informações/agendamento: (11) 3324-0943/0944
Horário: terça a domingo, das 10h às 17h30- Grátis
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
Estacionamento pago
www.pinacoteca.org.br


Estação Pinacoteca- Espaço de exposições. Arte nunca é demais.

Largo General Osório, 66- Luz- São Paulo- SP
Informações/agendamento: (11) 3335-4990
Horário: terça a domingo, das 10h às 17h30
Ingresso: R$ 6 (meia-entrada R$ 3)
Grátis aos sábados
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
Estacionamento pago
                                                                        www.pinacoteca.org.br


Museu da Imigração/ Memorial do Imigrante- História da imigração em terras paulistas. Do mundo para a Hospedaria dos Imigrantes e, de lá, para todo o Estado.

Rua Visconde de Parnaíba, 1.316, Mooca, São Paulo- SP
Informações: (11) 2692-7804 (telefone do Arquivo do Estado de SP)
Horário: terça a domingo, das 10h às 17h
Ingresso: R$ 4 (meia-entrada R$ 2)
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
www.memorialdoimigrante.org.br


E aí, gostaram? Amanhã tem mais!

PS: Todas as informações deste post, do anterior da série, e dos que virão vieram de um guia do próprio estado, que eu recebi ao ir ao Museu do Futebol.




Foto da Semana #5- Leonardo Cardozo

Mais uma edição da nossa Foto da Semana chega hoje, nessa manhã de segunda-feira.

O fotógrafo convidado de hoje é o Leonardo Cardozo. Ele mora em Caieiras, cidade do estado de São Paulo e, como todos os outros, foi super atencioso. Ele mandou seu texto e pediu que eu escolhesse a foto. Foi muito difícil, mas aí está:

Hulk
"Fotografia pra mim começou como uma simples brincadeira, que percebi que a cada click a brincadeira ia ficando cada vez mais séria, onde percebi que é isso que eu gosto de fazer, sempre tento me aprimorar, aprender técnicas novas, para retratar o que realmente vi, passar o que a foto quer "dizer". Tento olhar de uma forma diferente para as coisas "normais", tento sempre buscar algo em especial que aquilo possa me mostrar."
Amo lugares urbanos como este, tão cheios de vida, coloridos, sensíveis...O que vocês acharam? Se quiserem ver mais fotos do Leonardo, acesse a galeria dele. Não use nenhuma de suas fotografias indevidamente, peça sempre sua permissão.

Para ver as outras edições, clique em Projeto Foto da Semana, no início do blog.

Ainda volto hoje para colocar a segunda parte dos museus de São Paulo. Até!

domingo, 7 de julho de 2013

Museus do Estado de São Paulo 1

São Paulo é um estado cheio de museus. Estes, por sua vez, cheios de conhecimento, beleza e interação. A maioria tem o ingresso bem baratinho, ou às vezes até de graça em certos dias. Você que nunca foi, aproveite esse nosso guia e escolha o que mais tem a ver com você; desfaça esse mito que museus são chatos. Você que já foi, veja aqui onde será sua próxima visita.

Essa é a primeira parte, nos próximos dias tem as outras 3 partes

Museu Catavento Espaço Cultural da Ciência- Ciência e tecnologia tratadas de forma lúdica e acessível para os mais diversos públicos.

Palácio das Indústrias- Parque Dom Pedro II, São Paulo-SP -Tel. (11) 3315-0051
Horário: terça a domingo, das 9h às 17h, inclusive feriado- Entrada até 16h
Ingresso: R$ 6 (meia-entrada R$ 3)
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
Estacionamento pago




Museu do Futebol- História e arte da maior paixão nacional. Um endereço onde todas as torcidas se reúnem.

Praça Charles Miller, s/n°, Estádio Paulo Machado de Carvalho- Pacaembu- São Paulo-SP
Informações/agendamento: (11) 3664-3848
Horário: terça a domingo, das 9h às 18h
Entrada até as 17h (Datas e horários de abertura sujeitos a alterações conforme calendário de jogos do Estádio do Pacaembu)
Ingresso: R$ 6 (meia-entrada R$ 3) Grátis às quintas-feiras
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
Estacionamento com zona azul


Paço das Artes- Arte Contemporânea e experimentação. Quem faz arte hoje, passa por aqui.

Av. da Universidade, 1 - Cidade Universitária (USP) - São Paulo- SP
Informações/agendamento: (11) 3814-4832
Horário: terça a sexta, das 11h30 às19h; Sábados, domingos e feriados, das 12h30 às 17h30 -
Grátis
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida




Museu Casa Guilherme de Almeida- Vida, poesia e arte. Um túnel do tempo com mobília e acervo originais.

Rua Macapá, 187, Pacaembu- São Paulo-SP
Informações/agendamento: (11) 3673-1883/ 3672-1391
Horário: terça a domingo, das 10h às 17h- grátis
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida




Museu da Casa Brasileira Mobiliário, design e arquitetura- Uma casa com objetos e endereço nobres. E o melhor: aberta a todos.

Av. Brigadeiro Faria Lima, 2.705 Jardim Paulistano -São Paulo- SP
Informações/agendamento: (11) 3032-3727/ 3032-2564
Horário: terça a domingo, das 10h às 18h
Ingressos: R$ 4 (meia-entrada R$ 2)
Grátis aos domingos e feriados
Acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida
Estacionamento pago









sábado, 6 de julho de 2013

Dica do Blog: site do Centro de Voluntariado de São Paulo

Ser voluntário é algo muito bonito; essa história de cada um por si não tem muitos pontos comigo. Podemos fazer muitos mais do que temos consciência. Uma mão lava a outra, não é?

É claro que para ser voluntário você precisa ter certeza de sua decisão, e se entregar de verdade, com comprometimento e dedicação. Se você tem tudo isso, mas não sabe onde e como ajudar, o site do Centro de Voluntariado de São Paulo te ajuda: você digita o seu CEP e ele te mostra os lugares que desenvolvem atividade que precisem de voluntários, perto de você. Você ainda pode filtrar pelo tipo de atividade que você pensa em fazer, como administrativo, artesanato ou até voluntariado internacional.

Esse mecanismo só funciona com CEPs da cidade de São Paulo e sua região metropolitana, então se você tiver mais dicas para outras partes do estado e do país, sinta-se livre para comentar.

Espero que tenham gostado da dica, até a próxima!

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Cinco coisas para se fazer nas férias

Não, eu não vou falar para você assistir séries, ler mais, ir ao cinema, e blá blá blá, todos os clichês que em todas as férias ouvimos, sem necessidade. Já sabemos que férias significa ler mais (quem gosta, claro), assistir mais séries, escutar música e afins.

Eu tentei ser mais original e trazer 5 dicas do que fazer nas férias. Vejam e me digam: fui feliz nas escolhas?


 1. Faça uma limpa na sua Caixa de Entrada de e-mails
Você passou um semestre deixando aquele e-mails não tão importante para depois, e agora está uma bola de neve. Já é hora de você excluir aqueles spams chatos, e no meio deles encontrar alguns que são mais importantes do que você pensava. Mas não descambem depois, hein? Continuem organizados e tudo será
mais fácil!
 
   2.  Leve seu cachorro e/ou gato para doar sangue! (E você também)
Isso mesmo! Seu animalzinho de estimação pode ajudar a salvar vidas, assim como você. Atenção para os requisitos:

• Pesar no mínimo 25 kg;
• Ter entre 1 e 8 anos;
• Ser de temperamento dócil;
• Estar com vacinação e vermifugação em dia;
• Controle de carrapatos e pulgas;
• Estar sadio;

• Não ser obeso;
• Fêmeas não podem estar no cio ou prenhes.


Essas e mais informações estão no site Turismo 4 Patas. Acesse e confira!

3. Comece aquele aguardado curso ou emprego
Às vezes, durante o primeiro semestre, começamos a pensar que já está na hora de começar a trabalhar, ou de fazer aquele curso que você sempre quis (ou precisa). Aproveite agora, que você está de férias, para calmamente procurar um emprego, ou sair de escola em escola vendo as opções. Geralmente existem cursos de férias em várias instituições de ensino, corra atrás!

4. Faça uma limpa no seu guarda-roupa
Outro clássico, não? Nem preciso dizer muito...Férias de julho são a época perfeita para fazer isso, pois estamos no inverno. Há muitas pessoas que precisam de peças que você até já esqueceu que existia.


5. Cozinhe!
Tá. A gente entende que você sempre queima o arroz, e que até seu miojo fica melhor quando sua mãe faz. Mas que tal tentar coisas novas e mais apetitosas? Nada como um doce pra animar...Faça bolos, pudins, brigadeiro... Ou quem sabe um bom salgado também, como um pastel, um pão caseiro...Se não ficar lá aquelas maravilhas, pelo menos é sempre uma grande diversão!


E aí, pessoal, vocês gostaram? Têm outras dicas legais e úteis do que fazer nesse mês? Manda aí nos comentários!

terça-feira, 2 de julho de 2013

Foto da Semana #4- Giovana Chaves

Chegou mais uma edição da Foto da Semana! Cada uma delas é especial, mas hoje há um toque a mais: a fotógrafa é minha irmã!

A Giovana tem 15 anos, está no 1º ano do Ensino Médio e pretende cursar Medicina Veterinária e Zootecnia na USP. Uma de suas maiores paixões é fotografar, e o ápice dessa paixão foi ter ganhado sua Nikon CoolPix P510 de aniversário de 15 anos. Porém, a foto escolhida foi feita por uma câmera mais simples, e mesmo assim ficou linda. Confiram:

Olhar...

"Pra mim, fotografia é um jeito de se expressar, mostrar os lugares ou objetos de outra perspectiva, colocar a sua criatividade para funcionar. Depois que comecei a fotografar, todo lugar que vou eu começo a olhar tudo ao meu redor e imagino aquela cena congelada. Não é uma simples árvore, mas sim a árvore com pássaros no topo; não é um simples cachorro, e sim um cachorro de rua com uma coleira, abandonado ou perdido; e, por fim, não é apenas um olho, mas sim a imagem que ele reflete."

O que acharam? Espero que tenham gostado assim como eu! Não esqueçam de acessar a galeria dela para conferir suas outras fotografias, principalmente se você gosta de cachorros, natureza e outras cenas cotidianas.

Como sempre, gostaria de lembrar que todos os direitos das fotos são dela. Se quiser usar alguma, por favor, entre em contato com ela.

Para ver as outras edições clique em Projeto Foto da Semana no início do blog. Até semana que vem!

             

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Resenha: The Descendants (Os Descendentes) de Kaui Hart Hemmings


Observação importante: eu li o livro em inglês, então qualquer diferença de nome se deve a isso.

Autora: Kaui Hart Hemmings 
Edição: 4ª
Editora: Random House
ISBN0099570246 (ISBN13: 9780099570240)
Ano: 2012
Páginas: 283
Nota: 5

Para começar, uma visão geral da história: Matt King herdou muita terra no Havaí, porque ele é um dos descendentes de um missionário que, há muito tempo, se casou com uma princesa havaina, então agora ele é um dos maiores proprietários de terras do Havaí.  Os descendentes têm que vender essa terra por duas razões: necessidade de dinheiro e, afinal, eles não estavam fazendo nada com a terra. O Matt tem o maior voto, então tem muita pressão sobre ele, agravada pelo coma de sua esposa, causado por um acidente de barco. Além de todos esses problemas, ele ainda tem que lidar com duas filhas também problemáticas. A mais nova é a Scottie, uma menina de 10 anos que mente muito e tem uma amiga muito enjoada e insuportável. A outra filha é a Alex; ela tem 18 anos e era uma viciada em drogas, razão pela qual, no começo da história, ela estava num internato. Agora Matt está no comando e um pouco perdido com isso. Aí ele descobre que sua esposa o estava traindo, o que o confunde: ele fica triste e nervoso com sua mulher, mas não quer se sentir assim, ele quer fazê-la feliz nos seus últimos dias. Quando o doutor diz que sua esposa (que, falando nisso, se chama Joanie) não vai acordar, ele começa a visitar seus amigos mais próximos e familiares para avisá-los e os convidar para se despedir. Além disso, ele se encontra em uma dilema: ele deveria contar ao homem com quem Joanie estava se encontrando que sua amante ia morrer? Seria isso o que Joanie desejaria, o amante em vez do marido? Bem, esses são os pontos principais do romance, de onde a história de desenvolve.

Há mais uma personagem que eu deveria mencionar: Sid, amigo da Alex. Bem, pelo menos é isso que eles dizem ser, apenas amigos. A Alex alega que seria mais "civilizada" com ele por perto, mas acaba que é mais do que isso; Sid também tem um dilema pessoal. Uma personagem divertida e charmosa.

Esse livro agora é um dos meus favoritos. Você torce pelas personagens, você ri com eles, você fica confusa com eles. Eles ganham vida, há uma conexão. Por exemplo, quando Matt pergunta a um casal de amigos se eles sabiam da traição, se sabiam quem era o cara, a mulher o culpa, dizendo que Joanie estava certa, que Matt não foi bom com ela, e eu fiquei tão brava com isso. Quer dizer, ele nunca pensou que havia algo errado, ele pensou que ela gostava do jeito que as coisas estavam, ele a amava. Eu fiquei do lado do Matt, e se você fica do lado de uma personagem, é porque o livro é muito bom, certo? Outro exemplo do quão bom o livro é: uma vez eu quase perdi a parada do ônibus que eu deveria descer porque estava prestando muita atenção à leitura.

As únicas duas coisas que me irritaram em algumas partes do livro foram: eu não conseguia acreditar que uma menina de 10 anos podia ser como Scottie, tão esperta, ardilosa e às vezes até maliciosa, e não sei mais o quê que me fez ter que ficar lembrando que ela tinha 10 anos, e não pelo menos 13; e a segunda coisa foi que eu não conseguia acreditar que um pai podia se preocupar tão pouco com o fato de ter um filha viciada em drogas, que ele prestaria tão pouca atenção a isso. Bem, até o fim do livro, esses problemas se resolveram, em parte porque eu percebi que meu ponto de vista estava errado, em parte porque a história me fez acreditar que eles poderiam ser pessoas reais. Com a Scottie, por exemplo, quão difícil seria ter sua mãe num coma e uma irmã que fica bêbada e usa drogas? E sobre o Matt, se vê como ele sente que falhou com sua esposa, suas filhas...

Uma coisa que realmente me surpreendeu foi ver que esse livro não é muito popular, pelo menos aqui no Brasil; eu nem sabia que aquele filme tinha sido baseado num romance. Isso é uma pena, porque é uma história muito boa, que vale a pena ser lida.

The Descendants é um livro muito bom. Você se sente feliz ao ver o desenvolvimento das personagens e como a autora trata assuntos tão sérios de uma forma leve e às vezes até divertida. Você ficará surpresa com o curso dessa homogênea história.