segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Entendendo o cutting (tradução de artigo em inglês)

Desde que a Demi Lovato começou a falar abertamente sobre seus problemas, que incluíam o cutting, eu fiquei ainda mais interessada por esses assuntos. Falta informação, falta gente querendo saber o que acontece, falta atenção, falta conscientização. Fiz uma busca no Google e achei um ótimo artigo, direcionado às pessoas que se cortam e às outras pessoas envolvidas, escrito pela Dena Yohe. Dediquei-me por um tempo à tradução deste, e hoje mostro para vocês o resultado. De pouco em pouco a gente vai conseguindo fazer um mundo melhor...

Entendendo o cutting

Escrito por Dena Yohe

Minha filha se cortou pela primeira vez quando tinha 12 anos de idade. Hoje, 11 anos depois, ela ainda está lutando para superar este problema. Na época, eu não sabia absolutamente nada sobre automutilação e isso me apavorou. Eu fiquei chocada e não entendia por que ela faria algo assim. É importante entender o cutting- o que é, quem faz, o porquê das pessoas fazerem, e como obter ajudar para que você ou um amigo parem de se machucar por dentro e por fora.


O que é o cutting?

Cutting caracteriza-se por alguém que pega algo afiado, como uma navalha, faca, tesouras ou pedaços de vidro, e passa pelo corpo, geralmente ao ponto de sangrar ou machucar. A maioria dos cortes é feita nos braços, pulsos e pernas. Às vezes, as pessoas cortam o peito, estômago, rosto, pescoço, seios ou genitais. Cortar os braços e pulsos é o caso mais comum porque na maioria das vezes é mais fácil inventar desculpas para as marcas nessas partes do corpo, algo como "Meu gato me arranhou", ou "Eu tive um acidente na cozinha".

O cutting é uma forma de automutilação. Além de se cortar, as pessoas também podem se machucar de outras maneiras, incluindo arranhar-se, queimar-se, mexer em feridas, puxar o cabelo, dar socos ou bater a cabeça. As pessoas se cortam para lidar com problemas difíceis ou sentimentos que elas não podem expressar verbalmente.


Quem se corta e por quê?

Quase dois milhões de pessoas se cortam de alguma forma nos Estados Unidos. A maioria é adolescente ou jovens adultos, e eles são de todas as etnias e origens. Geralmente eles usam calças ou camisetas longas para esconder os cortes, até mesmo em dias mais quentes.
A maior parte das pessoas têm dificuldade em entender a razão de alguém, intencionalmente, se cortar. Mas, para aqueles que se cortam, há algumas razões típicas:
dor emocional que eles não conseguem pôr em palavras
ganhar uma sensação de controle quando as coisas estão fora de controle em suas vidas
autopunição por pensamentos ou atitudes problemáticas
alguns acham que os cortes têm um efeito calmante
para que as outras pessoas reajam à prática.

Não importa o motivo. O cutting é um comportamento sério e perigoso, e pode ser sinal de um outro problema.
Muitas pessoas que se cortam também tem um transtorno alimentar como anorexia ou bulimia. Alguns podem estar passando por depressão. Outros podem ter sido abusados sexual ou fisicamente.

O cutting é uma tentativa de suicídio?

Na maioria das vezes, as pessoas que se cortam não estão tentando se matar. Por outro lado, o cutting pode oferecer risco de vida. Na verdade, às vezes, elas não conseguem controlar o ferimento e morrem acidentalmente.


Como eu posso ajudar um amigo com esse problema?
Se você tem suspeitas, vá em frente e pergunte a eles. Amigos com problemas de cutting geralmente ficam felizes em poder conversar sobre isso. Se você perguntar e a pessoa não estiver se automutilando, ela não vai começar a fazer isso só pela sua pergunta. Se eles deixam as feridas descobertas para que você possa ver, eles querem que vocês perguntem. Ofereça opções mas não diga ao seu amigo o que fazer. Se alguém está se cortando ou cometendo outro tipo de automutilação como uma maneira de se sentir no controle, não vai ajudar se você tentar assumir o controle da situação. Ajudar alguém inclui formas de obter ajuda- como conversar com os pais, um líder religioso, professor, conselheiro ou um profissional de saúde psicológica- pode ser a melhor coisa a se fazer.

Eduque-se sobre o assunto. Dois sites úteis para tanto a pessoa que está sofrendo com o cutting quanto sua família e amigos são: selfinjury.com e selfmutilatoranonymous.org. Eles têm até reuniões de grupos de apoio online. Alguns bons livros são Inside a Cutter's Mind: Understanding and Helping Those Who Self-Injure da Jerusha Calrk e Dr. Earl Henslin, Bodily Harm: The Breakthrough Healing Program For Self-Injurers da Karen Conterio e o Ph. D Wendy Lader e A Bright Red Scream: Self-Mutilation and the Language of Pain da Marille Strong. *

Também procure ajuda para você. Conhecer um amigo que está passando por isso pode ser assustador e estressante. Considere conversar com alguém que você confie. E lembre-se, mesmo se você não quiser compartilhar o segredo do seu amigo, você ainda pode falar com um psicólogo sobre como isso está te afetando. Não se esqueça que você não é o responsável por acabar com a automutilação do seu amigo. Não se pode forçar alguém a parar ou a buscar ajuda de um profissional. Não se pode consertá-los ou mudá-los, mas o que você pode fazer, sempre, é continuar sendo um amigo confiável e atencioso. Só de perguntar e encorajá-lo a buscar ajuda mostra que alguém se importa. Pode ser exatamente o que eles precisam para dar o próximo passo.


Como eu posso me ajudar?
Fale com alguém em quem você confia. Talvez seja um dos seus pais ou um bom amigo. Conte-lhes que você está se cortando, e que quer parar. Peça que eles te ajudem a buscar ajuda. Saiba que você pode receber algumas reações não muito boas, como negação, tristeza ou raiva, mas isso vai passar. Se não se sentir confortável com isso, entre em contato com um grupo de saúde mental na sua região. Há muita ajuda disponível e isso pode ser superado.
O cutting não é algo para se lidar sozinho. Há terapeutas e grupos de apoio que podem te ajudar a resolver as razões dos seus cortes. Mesmo se você estiver nervosa para procurar ajuda, dê esse passo, porque AGORA é a melhor hora para fazê-lo. Se você esperar, o problema só vai ficar maior e mais difícil de esconder. Você pode parar de se cortar!
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
*Procurei mais alguns bons artigos em português sobre o assunto: 

Tradução e adaptação: Natalia Oliveira, blog Livre Queda (se for usar, dê os devidos créditos)

Um comentário:

  1. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
    Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
    decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
    siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário! Volte sempre :)